A hat for Warren

Earlier this year, when we spent three months in Rio, I took advantage of having my mum fulfilling her grandma duties and took some sewing classes to refine my very basic skills with the sewing machine. Later on, in June when I couldn’t figure out what to give Warren for his birthday he suggested I made him a new hat so to apply my improved skills (he has been after a Spring/Summer hat for quite a while now after he lost his). He wanted one just like his old one and, lucky that I am, it is a really simple hat. Well, deceitfully simple I should say. Even though I took a course that doesn’t mean I can do anything and sewing in an elliptical shape was certainly challenging. On top of that, the fabric Warren chose for the hat didn’t make my job any easier. He got something that is a sort of jacquard meant for upholstery which although feels very light (I think it’s Rayon) it is quite thick and the edges go completely furry within two seconds of being cut. So, after a lot of fiddly hand basting, machine jamming and quite a few sighs… voi-lá! Warren’s got a spring hat. Now, I’ll call this a prototype myself as I’m afraid I can’t live with this wonky hat as a final product! Watch this space for its next iteration.

 

hat_top

hat_back

 

No início do ano, quando passamos três meses no Rio eu aproveitei que a minha mãe estava louca para cumprir os seus deveres de vóvó e me inscrevi num curso de corte e costura para aprimorar a minha habilidade com a máquina de costura. Chegou junho e eu ainda não tinha tido uma boa idéia do que dar de presente de aniversário para o Warren. Ele então sugeriu que eu fizesse um novo chapéu para ele (uma vez que ele perdeu o que tinha). Ele queria um igual ao antigo, que para minha sorte, era bem simples. Enganosamente simples, melhor dizendo. Só porque eu fiz um curso não significa que eu posso sair fazendo qualquer coisa, e costurar em círculo certamente foi um desafio. E pra piorar, o tecido que ele escolheu não ajudou em nada. O Warren epegou um tecido para estofamento, que apesar de leve (acho que é Rayon) é grosso e volumoso e as bordas desfiam todas em dois segundos depois de cortadas. Depois de alinhavar o chapéu a mão várias vezes, da máquina encrencar com a espessura do tecido e de muitos suspiros… voi-lá: o Warren está de chapéu novo! Agora, eu mesma estou chamando issdo de protótipo pois meus parâmetros não aceitam esse chapéu todo torto como produto final. Fique de olho por aqui para a próxima iteração desse chapéu.

Leave a Reply

Your email address will not be published.